CONCURSO PÚBLICO, INTERESSES PRIVADOS!

Em 30/7/2018 o Executivo da CMC aprovou um concurso público para concessão e exploração de um Complexo Desportivo Integrado e Centro Olímpico de Ginástica num terreno municipal. A proposta desse concurso foi discutida na reunião da AMC, realizada em 29/06/2018, resultando num pronunciamento favorável das bancadas do PS, CDS e SC e os votos contra do PSD, CDU e CpC. A nossa posição, como tive oportunidade de frisar, ancorava na convicção de que uma modalidade desportiva como a Ginástica que tem, só em Coimbra-cidade, perto de um milhar de praticantes, com provas dadas ao mais alto nível, nacional e internacional, merece ser acarinhada e promovida, criando as melhores condições para a sua prática e o desenvolvimento de atletas de alta competição.

Esta é a posição que continuamos a defender com veemência e que nos leva a denunciar o modo como o processo de construção de um pavilhão dedicado à modalidade está a ser conduzido, mediante a concessão de um terreno municipal a uma entidade privada, apresentando contornos pouco definidos que as cidadãs e cidadãos de Coimbra têm o direito/dever de questionar.

Questionamos a oportunidade do momento em que se leva a proposta a votação, aproveitando a ausência de um vereador que, em coerência com a posição assumida pelos seus pares na AM, votaria contra. O recurso ao voto de qualidade do edil nunca foi tão oportuno e compreendemos agora o porquê de o próprio ter evitado a votação na reunião de 17/7, sob pretexto de se proceder à sua reformulação, reformulação essa que é preciso pescar à linha.

Questionamos a ausência de pormenor do caderno de encargos quanto às condições específicas do negócio: características técnicas do equipamento, nomeadamente a capacidade para a prática das diversas especialidades gímnicas (acrobática, trampolins, rítmica, aeróbica) com necessidades específicas, quer em termos de espaço e de tipologia de equipamento fixo para treinos e competições; pormenorização da distribuição e autonomia dos equipamentos no espaço; contabilidade detalhada dos custos/benefícios entre equipamento municipal e equipamento privado.

Questionamos, ainda, a ideia de um concurso público com vencedor anunciado, como se pode depreender das palavras do vereador responsável pelo desporto, aquando da sua apresentação do projeto, referindo-se a um concorrente espanhol como o melhor posicionado para vencer, desrespeitando as regras inerentes à figura jurídica do concurso público que visa promover a justiça concorrencial.

Por fim, não podemos deixar de questionar a hipocrisia dos pressupostos utilizados na fundamentação da proposta, justificando a parceria público-privada com a referência à campanha da OMS “Sejamos ativos: todos, em todos os lugares, todos os dias” de promoção da atividade física para todos com vista à melhoria da saúde pública. Sem pôr em causa a justeza de tais pressupostos, desconfiamos dos seus resultados.

Clara Moura, Deputada Municipal, Cidadãos por Coimbra

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s